Síndrome dos Ovários Policísticos: o que é, causas, sintomas e tratamento

A síndrome dos ovários policísticos é um dos distúrbios endócrinos mais comuns em mulheres em idade reprodutiva. Caracteriza-se por disfunções ovulatórias, hiperandrogenismo e presença na ultrassonografia de ovários com aspecto policístico. Pode ter repercussões tanto nos aspectos reprodutivos quanto metabólicos.

Quais são as causas da síndrome dos ovários policísticos?

As causas ainda não são claras, provavelmente tem origem multifatorial e acredita-se que a suscetibilidade individual seja determinada por múltiplos fatores de risco genéticos e ambientais.

Quais são os sintomas da síndrome dos ovários policísticos?

Mulheres com síndrome dos ovários policísticos podem apresentar irregularidades no ciclo menstrual (intervalo entre as menstruações de mais de 35 dias, menos de 10 ciclos menstruais por ano, com infertilidade em 40% dos casos), sinais de hiperandrogenismo (níveis elevados de andrógenos no sangue resultando em crescimento excessivo de pelos, acne, alopecia) e sinais de resistência à insulina, resultando em dificuldade em perder peso.

Os sintomas podem aparecer logo após a menarca (a primeira menstruação) ou se desenvolver ao longo dos anos.

O quadro clínico pode apresentar-se de forma diferente, mas em qualquer caso piora na presença de obesidade.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome do ovário policístico é feito na presença de 2 dos 3 critérios a seguir: disfunção ovulatória, hiperandrogenismo (tanto com base em dados clínicos quanto com base em dados laboratoriais), ovários policísticos na ultrassonografia pélvica.

Portanto, é útil:

  • Consulta ginecológica para investigação da anamnese sobre as características do ciclo menstrual e da história reprodutiva e para avaliação de quaisquer sinais de hiperandrogenismo ao exame físico.
  • Ultrassonografia transvaginal para visualizar a aparência dos ovários e seu tamanho.
  • Ensaios hormonais, realizados por meio de uma amostra de sangue, para avaliar o nível de andrógenos no sangue com dados laboratoriais.

Quanto mais precoce o diagnóstico, mais cedo é possível intervir para evitar consequências a longo prazo (hiperplasia endometrial, câncer endometrial, hipertensão, hiperlipidemia, resistência à insulina, diabetes mellitus tipo II, doença arterial coronariana).

Tratamentos

O tratamento da síndrome dos ovários policísticos varia de acordo com o quadro clínico da paciente e seu desejo de maternidade.

Para irregularidades menstruais, acne e hirsutismo (crescimento excessivo de pelos), tomar uma pílula anticoncepcional contendo estrogênio e progesterona pode ser útil. Para as pacientes que buscam a gravidez, serão prescritas terapias específicas que visam restabelecer a ovulação espontânea e melhorar o quadro metabólico.

Em pacientes obesos ou com sobrepeso, a perda de peso com dieta balanceada e exercício físico constante é sempre recomendada.

Mais considerações sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) causa importantes efeitos metabólicos e reprodutivos na saúde da mulher. Caracteriza-se pelo aumento dos ovários, pela presença de múltiplos cistos ovarianos e por alterações endocrinológicas e metabólicas (hiperandrogenismo, resistência à insulina e consequente hiperinsulinemia).

A SOP afeta 5-10% das mulheres, tem origem no período puberal e é considerada a alteração endócrina mais comum na idade fértil.

A etiologia ainda é controversa hoje. Pode-se dizer que o ovário policístico é a expressão de uma complexa alteração funcional do sistema reprodutor dada pelo aumento dos hormônios masculinos (andrógenos), causadora de sinais e sintomas como:

  • hirsutismo (excesso de pelos no rosto e no corpo)
  • alopecia androgenética (acne e calvície masculina)
  • distúrbios menstruais (menstruação irregular, ausência de menstruação por vários meses, poucos ou longos períodos).

O diagnóstico pode ser difícil, mas o médico, com suspeita de SOP, pode indicar exames específicos para o diagnóstico (exames hormonais, glicemia, insulina, ultrassonografia pélvica, etc.), recomendar terapia direcionada, estilo de vida correto e emagrecimento.

Adote um estilo de vida correto

SOP não é sinônimo de esterilidade e a indução da ovulação é usada se a anovular idade for sistemática e a única causa de infertilidade. Além disso, o exercício (importante para reduzir a resistência à insulina) e a perda de peso (útil para reduzir os níveis de insulina, SHBG e estrogênio) podem restaurar a ovulação ou promover o efeito de medicamentos usados ​​para a lactação.

É fundamental compreender como os estilos de vida saudáveis ​​e corretos, adquiridos desde cedo, ajudam na prevenção desta condição clínica. Isto coloca os profissionais de saúde locais na vanguarda, em particular os médicos de família e os clínicos gerais e, em geral, sublinha o valor da formação para toda a comunidade científica.

 

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.