Diferença entre doula e enfermeira obstétrica

Descubra agora a diferença entre doula e enfermeira obstétrica?

Você já deve ter ouvido histórias de pessoas mais velhas como sua avó ou bisavó sobre os partos de suas épocas. É bem provável que seus relatos fossem de partos realizados em casa, de forma natural, com a ajuda de uma parteira ou até mesmo das próprias mulheres da casa e vizinhas.

Os partos eram realizados em casa, usando água quente, tesouras fervidas e passadas no fogo para esterilizar, e panos limpos e novos. Não tinham acesso a medicações para dor como anestésicos, e se morassem muito longe da cidade também não tinham acesso a médicos.

Conforme os anos foram se passando, a modernidade foi entrando em cena, e as parteiras foram sendo trocadas pelos hospitais. Com esse avanço, pôde-se reduzir os índices de mortalidade e morbidade materna e neonatal, já que poderiam contar com médicos e todo o apoio necessário durante o parto.

Em algumas regiões do Brasil, ainda se utiliza o serviço da parteira, principalmente em tribos indígenas, onde as mulheres mais velhas costumam realizar os partos e fazer uso de plantas medicinais, rituais culturais e remédios naturais.

Com o passar dos tempos, as enfermeiras começaram a ter um papel mais a fundo durante o trabalho de parto. Para auxiliar os médicos e ajudar na demanda dos partos, as enfermeiras começaram a se especializar em obstetrícia. Em alguns países, os partos de baixo risco e sem complicações são realizados por enfermeiras obstetras, podendo ocorrer em casa ou no hospital.

Enfermeira obstétrica ou doula: qual contratar?

As enfermeiras obstetras podem realizar alguns procedimentos durante o parto, como aferir os sinais vitais, realizar a ausculta dos batimentos cardíacos do bebê, verificar a dilatação da gestante através do toque via vaginal, avaliar a progressão da posição fetal e descida do bebê e acompanhar o nascimento do bebê realizando os cuidados após o expulsivo.

As doulas também possuem sua história desde antigamente, pois quando existiam os partos domiciliares quem os realizava eram as mulheres da casa, e é daí que vem o termo doula.

As doulas são, segundo o Dr. Ric Jones, guardiãs do parto e do sagrado feminino. São elas que dão todo o suporte emocional e físico à gestante, buscando formas de aliviar a dor e também sendo a ponte entre a gestante e o médico, garantindo que tudo ocorrerá conforme os desejos da mãe, desde que não haja intercorrências.

A doula também apoia emocionalmente o casal durante a gestação, parto e puerpério, auxiliando no preparo físico do ambiente e no psicológico dos pais para a chegada do novo bebê.

Doulas não realizam nenhum procedimento médico, mas podem realizar massagens, indicar posições confortáveis para o parto, aplicar técnicas para o alívio da dor desde que não medicamentosas, explicar ao casal tudo o que está acontecendo durante o parto e auxiliar após o nascimento do bebê nos primeiros momentos, como durante a golden hour (primeira hora de vida do bebê junto a mãe) e amamentação.

A doula é a profissional que vai se preocupar com o emocional da gestante, enquanto a enfermeira obstétrica vai se preocupar com os aspectos técnicos do parto, como sua evolução e saúde do bebê durante o trabalho de parto.

Ambas as profissionais podem trabalhar juntas, sem que uma interfira no trabalho da outra.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *