Cesariana: quais as reais indicações da cirurgia?

Você sabia que existem motivos reais de indicação de cesariana? Conheça.

A maioria das mulheres deseja se tornar mãe, mas a maioria delas temem por um momento: o parto. Algumas mulheres sonham em ter o parto normal humanizado, com direito a doula, acompanhamento médico e liberdade para escolher e programar todo o seu parto.

Já outras mulheres temem pelo parto normal com medo da dor, de lesões vaginais e até mesmo por falta de apoio familiar, e recorrem à tão procurada cirurgia cesárea.

Mas, você sabe quando realmente deve ser feita a cesariana?

cesariana

Falta de dilatação, pouco líquido amniótico, bebê muito grande, cordão com nó e muitos outros obstáculos são impostos pelos médicos para as mulheres optarem pela cesariana. A maioria delas acaba indo para a mesa de cirurgia por não terem informação necessária sobre esses casos acima.

O Brasil é considerado um dos países recordistas de cesáreas, sendo uma média de 84% dos partos nos planos privados.

A cesariana é realmente indicada nos casos de:

  • Placenta prévia parcial ou total: é quando a placenta se forma no colo do útero. Com isso, quando se iniciam as contrações e dilatação, a placenta é a primeira a sair, antes do bebê, causando sangramentos, já que é pela placenta que o bebê recebe todos os nutrientes necessários.
  • Bebê transverso: é quando o bebê está totalmente atravessado no útero, sem estar ou pélvico ou cefálico. É um caso extremamente raro, mas uma indicação para cesárea. Costuma acontecer em casos de gemelares que não possuem muito espaço para se virarem e em casos de bebês prematuros.
  • Prolapso de cordão: é quando o cordão umbilical desce antes do bebê para fora do útero. Neste caso, quando o bebê começar a nascer, haverá uma compressão nesse cordão, diminuindo ou cortando a passagem de oxigênio da placenta trazendo riscos de falta de oxigenação para o bebê.
  • Herpes genital: é um motivo para cesariana desde que a herpes esteja na sua fase ativa, com lesões. Se não houver lesões, é possível que ocorra o parto normal e a mãe pode até realizar um tratamento para inativar a herpes e não contaminar o bebê durante o parto.
  • Descolamento de placenta: é quando a placenta começa a se descolar da parede do útero, causando a falta de nutrição e oxigênio adequado ao bebê. Quando esse evento acontece, a gestante sente uma contração muito forte que não cessa, acompanhada de grande sangramento vaginal. Socorrido em tempo, por ser um evento de emergência, mãe e bebê ficarão bem.

Os reais motivos para a cesariana são situações onde há o bloqueio mecânico do parto ou uma situação iminente de vida. Claro que existem mais motivos durante o trabalho de parto por exemplo, porém depende muito da conduta da equipe médica, que avaliando bem, pode-se resolver o problema sem a intervenção cirúrgica.

É importante conversar francamente com seu obstetra e avaliar as reais indicações da cesárea, optando sempre por sua escolha ciente de seus riscos. A cirurgia é excelente, porém não deixa de ser uma cirurgia complexa, que só deve ser realizada se realmente necessária, evitando riscos de contaminação e até morte, pois não deixa de ser uma cirurgia arriscada. Evita também a morte fetal por prematuridade.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *