A importância do pré-natal na gravidez

O pré-natal é necessário para garantir que tanto a mãe quanto o bebê tenham uma gravidez e um parto saudáveis. Além de prevenir e diagnosticar doenças e problemas antes que eles se agravem, o acompanhamento também educa a mãe sobre temas essenciais relacionados à maternidade.

O pré-natal é o acompanhamento de tudo o que é feito com a gestante, desde o início da gestação quando se é confirmada a gravidez até o dia do parto. Após o nascimento do bebê, o período é chamado de puerpério, onde também é realizado um acompanhamento pós-nascimento.

O objetivo do pré-natal é acompanhar a gestante quando ela começa a possuir demandas físicas relacionadas ao período gestacional, como ganho de peso, alterações na pressão arterial e diabetes gestacional, nutrição, crescimento do bebê intrauterino e movimentação fetal, ou qualquer outro problema que possa ocorrer ao longo da gestação.

O pré-natal é dividido em dois tipos, sendo eles o pré-natal de risco habitual e o pré-natal de alto risco. O pré-natal de risco habitual é o acompanhamento normal onde a gestante não apresenta nenhum tipo de comorbidade. Já o pré-natal de alto risco é onde é feito o acompanhamento da gestante que apresenta comorbidades, como por exemplo mulheres que já são diabéticas ou hipertensas, necessitando assim de uma atenção maior e um olhar mais dinâmico.

Quanto à quantidade de atendimentos, recomenda-se que sejam no mínimo 6 consultas de pré-natal, sendo um número satisfatório de consultas levando-se em consideração que muitas gestantes não possuem acesso com facilidade aos centros de saúde. Geralmente, quando a gestante descobre a gravidez de forma tardia, entre 18 a 20 semanas, fica mais difícil conseguir realizar as 6 consultas até o nascimento. Por isso é importante o conhecimento precoce da gestação e do início do pré-natal.

Durante as consultas de pré-natal, devem ser abordados todos os fatores físicos e emocionais da gestante, monitorando a parte motora e psicológica do bebê e seu desenvolvimento.

Os exames que devem ser realizados durante o pré-natal 

  • Glicemia: o exame de glicemia deve ser feito para analisar se há presença de diabetes gestacional;
  • Grupo Sanguíneo e fator Rh: determina a incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o bebê, prevenindo assim a morte precoce do feto.
  • Exames: de (Síflis, Toxoplasmose, Rubéola e Hepatite B: São feitos para detectar tais doenças, afim de evitar o aborto ou más formações do bebê.
  • Anti-HIV: exame feito para detectar a presença do vírus HIV, pois se a mãe for positiva, será prescrito pelo médico medicações para evitar que o bebê seja infectado pelo vírus durante a gestação.
  • Exames de urina: realizado para identificar infecções e prevenir o nascimento prematuro e malformações do feto.
  • Ultrassonografias: os exames de imagem são necessários para identificar a idade gestacional, malformação do feto, a quantidade de líquido da bolsa amniótica e a formação e execução da placenta, além da integridade do colo do útero e anomalias.

É fundamental que as futuras mamães iniciem o pré-natal assim que a gravidez for confirmada, ou antes de completar três meses de gestação. A mamãe deve seguir uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos para o bom desenvolvimento da gestação.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.